José Pinto Júnior

11/05/2018
Quando os governantes do RN reclamam da falta de dinheiro, fica claro que o Estado não tem um plano de metas para o seu desenvolvimento. Empreendimentos, que há muito tempo não se priorizou, empregos, renda e, consequentemente, impostos.
 
Em outubro, teremos mais uma eleição para eleger o próximo governador ou a próxima governadora. Até agora, os pré-candidatos são: Fátima Bezerra (PT), Carlos Alves (PDT), Carlos Alberto (PSOL), Robinson Faria (PSD) e Fábio Dantas (PSB). Mas qual o plano de governo de cada um? Não existe. Se existe, estão guardando a sete chaves.
 
Um plano de metas com começo, meio e fim para ampliar investimentos no estado, ampliar a quase inexistente industrialização com medidas de qualificação, educação e pesquisa. Quem apresentou algo parecido? Ninguém.
 
Os eleitores mais esclarecidos devem indagar cada candidato ou candidata sobre seu plano de governo. Eles vão ficar mais simpáticos e buscarão apertar sua mão pelo tempo de fazer uma foto. Neste momento, segure a mão com força e pergunte: Qual o seu projeto para desenvolver o estado? De onde virá o recurso? Como fará?
 
Os políticos já foram desafiados a pensar o RN além de sua campanha eleitoral. Mas, não evoluem. Está na hora de o eleitorado exigir um projeto viável para o desenvolvimento do estado. Isto passa por não colocar o voto à venda.