Cefas Carvalho

07/02/2018
Se Anitta rebola e mostra a bunda (o que Gretchen e as chacretes faziam e o que Rihanna e Beyoncé ainda fazem), o pessoal reclama, ridiculariza e ofende.
 
Se Anitta canta, de longo, com Andrea Bocelli ou Gil e Caetano, o pessoal menospreza.
 
Se Anitta lança clipe estiloso, com ar sofisticado, pessoal reclama. Se lança clipe de fio dental na favela, pessoal reclama.
 
Agora Anitta foi convidada pela Universidade de Harvard para dar uma palestra sobre o Brasil no evento 'Brazil Conference', que ocorre todos os anos em Massachusetts. Dilma, Moro e empresários diversos já foram palestrantes em anos anteriores.
 
 Nada mais normal ela ser convidada: é empresária bem sucedida, milionária antes dos 30 anos, em ascensão do mercado internacional e de origem humilde e da periferia, tem mais condições de falar sobre Brasil, meritocracia e sucesso dos que os deputados playboys com mandatos comprados por painho, por exemplo.
 
Mas, claro, o pessoal também reclama disso. Ela não pode mostrar a bunda. E também não pode dar uma palestra.
 
Esse pessoal na verdade queria que Anitta e gente como ela nem existisse, essa é a verdade. E, em existindo, que não fosse bem sucedida. É o mesmo pessoal que tinha nojo de pobre em aeroporto e de negro fazendo Medicina.