Nicole Tinôco

14/11/2017
Olá Caros Amigos
 
Hoje era dia de continuar na temática iniciada semanas atrás: Machismo. Pretendia "chover no molhado", dizer que ele mata , enfim, falar o que já deveria ter sido superado , pelo menos de forma teórica, nesta terra de grandes mulheres tais como Nízia Floresta & Celina Guimarães. Ah! Celina. Imagino o quão triste você estaria esta semana se soubesse o recente ocorrido em terras Mossoroenses. Logo nesta cidade tão emblemática, palco do grande acontecimento de sua vida: Pioneira , a professora Celina foi a primeira eleitora do Brasil em abril de 1928, na cidade de Mossoró.. Parece que você estava mesmo à frente do seu tempo estando , inclusive , à frente nosso! Esteves tempos de horrores, violência e supressões de direitos já conquistados  os quais as mulheres de 2017 estão enfrentando. Termino essa história ainda está semana, prometo!
 
Hoje abrirei uma exceção aos homens. Falarei "bem" deles. Farei esta concessão, por entender que "ele" é Exceção! Não por ser meu "chefe" , não por ter sido ele a me dar uma oportunidade após anos afastada do Jornalismo, não apenas por isso.
 
Falarei hoje de um "Pinto Júnior" que transcende o jornalismo, que talvez vocês da imprensa e sociedade como um todo não possuam a oportunidade de conhecer . Hoje estive no Potiguar Noticias , e muito embora ele tenha dito estar emocionado nas redes sociais seu comportamento era tal qual todos os dias: repleto de tarefas, abarcando mil e uma atividades ao mesmo tempo , mas com algo que lhe é característico : a doçura nas palavras.
 
Ah! Porque estou falando de hoje? É que logo mais à noite ele receberá um prêmio  concedido pela Academia Norte Rio-Grandense de Letras : José Pinto Junior, destaque na Categoria Jornalismo Televisivo. Em entrevista aqui para equipe do PN TV, ele se  disse surpreso, não sei o porquê . Estive fora do Jornalismo tantos anos mas nunca deixei de acompanhar o que era produzido na minha primeira área de formação. Retornei agora através de convite seu mas a você Pinto Júnior não devo gratidão "apenas" pela oportunidade concedida, este é um sentimento "porta de entrada" nesta  relação . A admiração vem logo em seguida, ali "coladinha". Em primeiro lugar admiro o pai de um garoto fantástico , um mocinho cujo nome espero ver na minha estante de livros daqui a poucos anos e que sei que o amor à leitura é muito fruto de incentivo seu e da super mãe . 
 
Admiro bastante também o  companheiro de uma super mulher de uma fibra, uma pantera e produtora incansável ! Lidar com grandes mulheres de maneira harmoniosa e dando a elas o devido valor é pra poucos. E você , além de,  aos meus olhos,  parecer um  bom esposo é um sortudo. Tens ao seu lado uma Grande mulher! Mas não falarei muito dela que ,diferente de nós, não é muito adepta a exposição , mas garanto : arrasa nos bastidores ! 
 
Quem me disse isso? O próprio! O jornalista  que apenas por ocasião do destino é proprietário da empresa a qual estou vinculada.
 
Pinto não é  um grande homem tão somente por ser gentil , isso , a questão do respeito, deveria ser obrigação a todos. Considero-o acima da média por não ter medo das mulheres.  É isso mesmo , medo. Ele não tem medo de dar espaço, voz, elogios, reconhecimento. Valoriza sua esposa e as demais mulheres com as quais ele convive, respeitando-as em meio às suas  individualidades e complexidades. Conheço toda sua família Jornalista e confesso que hoje não sei a quem creditar o mérito deste prêmio , vocês são mais que uma família : São uma equipe incrível ! 
 
Não quero parecer nada além do  que sou , nem quero encher mais todo esse texto de açúcar . Quero terminar e agradecer a oportunidade concedida por vocês , por esse "coletivo familiar " que é o Potiguar Notícias , espero poder retribuir a confiança. Os desafios vêm por aí e espero retribuir a altura , tenho aprendido demais nos corredores deste Portal de Notícias. Termino em discurso direto: Parabéns Jornalista, parece clichê mas Você merece muito, sua competência, garra e bom humor é admirável ! Abraços , desta humilde colunista,  até logo mais.