João Maria Medeiros

11/11/2017
A política e os seus desdobramentos tem sido tema recorrente em toda e qualquer roda de conversas.
 
Normalmente a preferência é pelos desmandos, pela roubalheira e pelos xingamentos aos políticos. Esse, aliás, é o tema preferido de dez em cada dez cidadãos que tenho encontrado em meus caminhos. Por aqui e alhures...
Debater a política, os políticos e a atual situação do País é, não só importante, como também revela que a população parece ter acordado de um sono profundo. Um bom sinal que nos mostra, ainda que timidamente, um novo despertar de consciência.
 
Trago o tema à reflexão, porque infelizmente, o que te tenho visto e ouvido por ai, na maioria das vezes, são discussões vazias, superficiais, escassas de argumentos sólidos e até mesmo de conhecimento mais aprofundado sobre questões vitais para o País e a nossa democracia.
 
 Vejo esse vazio por todos os lados. Nas redes sociais, nas páginas dos jornais que ainda insistem em sobreviver diante do tsunami provocado pelo universo digital, em blogues, e até em jornaizinhos panfletários. De repente, muitos que tem acesso a esses meios passaram a emitir opiniões calcadas muito mais em superficialidades, provocando com isso, uma onda de desinformação em parcelas mais desatentas da opinião pública, que acabam recebendo como verdade e distorcendo o real sentido dessas opiniões.
 
Outro ponto que coloco à mesa para a reflexão é o desinteresse ou mesmo a alienação de uma parte significativa da população com um assunto vital como a política. Muita gente sequer conhece com propriedade o funcionamento das nossas instituições. Não sabem o que acontece e como são conduzidos os debates nas casas legislativas, apenas para citar um exemplo. 
 
Muitos sequer se interessam em acompanhar com acuidade o que nossos políticos/representantes estão fazendo pelo bem comum da comunidade. Esse, aliás, é um mal terrível e que mostra o quanto ainda estamos distantes da sociedade ideal desejada. Um problema que, na minha visão, é provocado não só pela alienação geral, como essencialmente, pela cultura de desinformação a que somos submetidos desde tempos longínquos.
 
A lição que precisamos tirar de toda essa constatação é que, mesmo sendo importante que todos debatam, discutam e formem opinião sobre a política - afinal, tudo que por ela transita se reflete em nosso cotidiano - é preciso começar a exercer com mais propriedade o nosso senso critico. É como diz o ditado popular. Nem tudo que cai na rede é peixe.